O que é ser médico do trabalho?

A missão da Medicina do Trabalho é cuidar da saúde dos colaboradores, o que engloba ações de prevenção das doenças e dos acidentes do trabalho, bem como a promoção da saúde e da qualidade de vida dentro das organizações.

No blog do Grupo Med Mais, quem fala sobre a importância da atuação dessa especialidade é o Dr. Frederico Caparelli (CRM-DF 18.894), médico que coordena os atendimentos relacionados à saúde ocupacional na sede do SEBRAE Nacional, em Brasília.

Segundo o especialista, a função do médico do trabalho vai além da emissão de atestados de saúde ocupacionais, como exames admissionais, demissionais ou de mudança de função.

O profissional tem como foco a detecção precoce de doenças, relacionadas ao trabalho ou não, isso porque, ao realizar o acolhimento do colaborador, permite diagnosticar, tratar e encaminhar para outra especialidade, quando necessário.

O grande diferencial de um bom serviço de Medicina do Trabalho está “no acolhimento e em entender as queixas do colaborador”, explica o médico.

 

O que os atestados revelam sobre a saúde do colaborador?

Apresentar um atestado médico na empresa vai muito além de informar ao gestor imediato sobre a ausência no trabalho. Esses atestados mostram a saúde ou diagnóstico de alguma doença do colaborador.

Para Dr. Frederico Caparelli, de acordo com os atestados apresentados, o profissional pode diagnosticar se existe uma falta de atuação dessa pessoa, se há necessidade de desse benefício de afastamento – quando o mesmo deve ser homologado, e conforme seja o problema de saúde, por meio do acolhimento, consegue tratar essa pessoa, dentro do serviço médico.

Conhecer as outras atividades que um colaborador desenvolve fora da empresa é importante para incluir essa informação no prontuário, pois a natureza de um atestado acerca de um CID M (transtorno osteomuscular), pode revelar muito mais do que uma doença ocupacional. Se o colaborador trabalha com digitação, mas nas horas de folga também toca guitarra, Dr. Frederico Caparelli explica que ao avaliar ao atestado, ele tenta fazer jus ao nexo causal.

“Será que o nexo causal é só ocupacional? Ou será que existe alguma coisa fora da empresa?  É nessa hora que a gente pode fazer nexo causal ou não com a queixa do paciente. Esse diferencial é muito importante porque evita muitas ações trabalhistas desnecessárias para a empresa”.

 

Acolhimento

O serviço de Medicina do Trabalho dentro da empresa é essencial para o diagnóstico precoce de doenças, para que esse atendimento seja eficiente, é importante que o profissional não ignore as queixas do colaborador.

Portanto, dentro do serviço de saúde ocupacional, o diferencial está no diálogo que existe entre médico e paciente, ou seja, saber acolher, saber ouvir, saber diagnosticar, saber tratar e saber curar.

Segundo o Dr. Frederico Caparelli, “as vezes por uma queixa simples ou alguma sutil que esse paciente conta para o médico, conseguimos identificar um quadro de depressão, ainda no estágio inicial, ou se ele está em um quadro de transtorno de ansiedade generalizada, de síndrome de Burnout, de fibromialgia ou de cefaleia crônica. São queixas que futuramente se tornam doenças ocupacionais. O médico do trabalho precisa compreender o que está acontecendo com a saúde desse colaborador”.

Acompanhe mais informações sobre Saúde, Segurança e Medicina do trabalho: www.medmais.com ou 4007-2176.

Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *