Covid-19:  SESMT pode garantir saúde e segurança do trabalhador 

Assim que a Organização Mundial da Saúde (OMS) decretou estado de pandemia de Covid-19, a situação das empresas mudou drasticamente. Agora, num cenário de retorno às atividades, se tornou indispensável a tomada de decisões emergenciais adaptadas ao “novo normal”. Dentre elas, implementar um Serviço Especializado em Engenharia e em Medicina do Trabalho - SESMT, de maneira eficaz ficou ainda mais importante. 

Considerando o contexto atual os gestores precisam analisar a gestão da Segurança e Saúde no Trabalho (SST) para garantir a proteção do seu colaborador.  O local de trabalho precisa funcionar de acordo com os indicadores de riscos. Sejam eles provenientes de agentes físicos, químicos e/ou biológicos, como Covid-19. 

Esses, e outros indicadores, podem ser adquiridos implementando uma boa gestão de SESMT. O serviço prevê a utilização de várias ferramentas de prevenção de acidentes como o Programa de Prevenção de Riscos Ambientais (PPRA), a correta utilização de Equipamentos de Proteção Individuais (EPI), entre outros.

Serviço terceirizado

O Grupo Med Mais, que realiza o serviço terceirizado de SESMT há mais de 13 anos, destacou também a importância de manter os documentos ocupacionais atualizados em relação à COVID-19. Ou seja, além do PPRA, o Programa de Controle Médico e Saúde Ocupacional  (PCMSO) precisam ser revistos  para eventual inclusão de fatores ligados à COVID-19.

“O papel do SESMT e da CIPA são fundamentais como ação mitigadora de riscos considerando o COVID-19 como um 6º risco ambiental e todos os programas de segurança e saúde devem ser adaptados para ação conjunta de fiscalização e monitoramento. O grande desafio da gestão de SST é a instrução junto aos trabalhadores, a mudança da cultura em relação aos hábitos diários deve ser implantada de forma harmônica e gradual”, explica Luciano Sergino, Técnico em SESMT do Grupo Med Mais.

Atualmente não existem leis trabalhistas específicas, direcionadas ao trabalhador, para casos de pandemia. Por isso, cabe à empresa tomar as medidas de proteção para garantir a saúde e segurança do seu colaborador, lidar adequadamente em caso de contaminação e sem prejudicar nenhuma das partes. E o SESMT é a melhor forma de fazer isso.

Proteção e Orientação

A CIPA (Comissão Interna de Prevenção de Acidentes) e o SESMT, são responsáveis por planejar e adotar as medidas necessárias para evitar a contaminação. São eles que desenvolvem, por exemplo, as instruções gerais de prevenção e fornecimento de produtos sanitizantes. Eles também garantem que essas medidas sejam fiscalizadas e efetivas. 

Resposta a contaminação

Novamente, são o SESMT e a CIPA que agem rapidamente em caso de contaminação diagnosticada entre os colaboradores. Ao menor indício de contaminação, esses órgãos internos orientam e encaminham o funcionário para exame médico e teste laboratorial. Eles também identificam os casos suspeitos, mapeando quem pode estar infectado e tomar as medidas necessárias. 

Quer saber mais sobre Saúde e Segurança do Trabalho?

Acompanhe as notícias em nosso site:  www.medmais.com .


Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *