3 passos para gerenciar a sua raiva

Existem situações no nosso cotidiano que dá vontade de jogar tudo para o alto? Isso pode acontecer no trabalho, em casa ou até mesmo com os amigos. É aquele momento em que você sente uma raiva, mas se lembra que não pode jogar tudo para cima, não é mesmo?

A neuropsicóloga Keli Rodrigues fala no Blog Med Mais os três passos para você aprender a gerenciar as emoções da raiva.

A raiva é uma emoção que dispara fisiologicamente reações orgânicas no corpo para uma reação de ataque. Isso significa que você está numa situação de ameaça e precisa se defender de algo. Nesse momento, a raiva entra como um mecanismo de defesa do próprio organismo. Mas você sabia que é possível gerenciar essa emoção explosiva?

Vamos lá!

 

1° passo: Entenda o gatilho

Você precisa entender qual é a situação que está te deixando com raiva, ou seja, o entendimento do ponto focal que te levou para a situação de raiva, e quando for uma relação externa, porque ela está provocando a raiva.

 

2° passo: Autorregulação

Você está em uma situação que teve vontade de brigar com o seu chefe ou com o seu filho, e jogou tudo para cima. O que pode fazer nessa hora? Como é que você vai reagir diante dessa situação? O mais coerente é: parar, respirar e entender que você está com raiva.

É preciso ter a compreensão de que uma situação de raiva gera consequência. E diante do acontecimento, qual é a consequência que pode gerar numa situação de explosão? Será que você está disposto arcar com essa relação de causa e efeito? Você vai reagir ou recuar?

A raiva é uma emoção que podemos sentir em qualquer fase das nossas vidas, e por isso, a sugestão da neuropsicóloga Keli Rodrigues é sair da situação. Procure um local arejado e que você possa refletir, respirar ou tomar uma água.

 

3° passo: Autogestão

Diante de uma situação de raiva, como é que você vai gerir essa emoção? Como vai manejar ou se posicionar? Dentro dessa perspectiva de respirar, autorregular e fazer uma gestão dessa emoção não significa que não vá fazer nada, pelo contrário, significa que você vai lidar melhor com essa emoção.

A neuropsicóloga Keli Rodrigues explica que sobre a ótica da Psicologia, a perspectiva que se coloca diante da gestão das emoções não é não senti-las, pois as emoções a pessoa vai sentir sempre, mas é a perspectiva de como que ela vai lidar com isso.

Como que você vai usar a gestão para ter uma melhor qualidade de vida no trabalho, na vida, no trânsito e no seu dia a dia? Como é que você vai gerenciar essas emoções que vão acontecer no seu cotidiano de forma produtiva e eficiente.

Viva bem e com leveza, por isso, use a gestão da emoção como uma ótima ferramenta a seu favor.

Gostou desse conteúdo? Acompanhe mais notícias em www.medmais.com .

 

Comente

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *